REDES SOCIAIS

Blog

12.03 0
COMENTÁRIO(S)

Chão ao vivo: Lenine disponibiliza vídeos de sua turnê “Chão” no Youtube

Em estúdio preparando seu novo disco, Carbono, Lenine disponibiliza os vídeos de sua turnê “Chão” nas redes sociais

Câmeras GoPro foram instaladas ao lado dos músicos e nos corpos dos técnicos da turnê Chão, de Lenine. A ideia, totalmente despretensiosa – e nada inédita, diga-se – era registrar o fazer daquele espetáculo que se construiu sobre uma paleta de sutilezas entre canção, ruídos e sons cotidianos. O flerte com a música concreta, a quadrifonia – algo raro em shows no Brasil – a direção de arte de Paulo Pederneiras, os samplers e remixes ao vivo tornaram o material algo um tanto mais interessante do que uma simples gravação. Daí a ideia de disponibilizar, gratuitamente, o espetáculo completo na plataforma Youtube.

Assim como o disco Chão – que ganhou novos caminhos depois da captação acidental do canto de um passarinho – os vídeos da turnê iluminam o que poderia ser imperceptível até mesmo para quem estava nas coxias. A visão do roadie no momento da troca de instrumentos; o brilho da cravelha sob a luz da cena, o suor do artista, o detalhe da operação das mesas de sons, o clique no botão e o efeito – imediato ou não. As sobreposições de sons e imagens. Tudo em momentos distintos da turnê, com acústicas e caixas cênicas diferentes.

Composto por 22 faixas, que serão disponibilizadas uma a uma a partir do dia 13 de março, e posteriormente como “playlist”, “Chão ao vivo” mostra a passagem do tempo (a turnê durou dois anos e nove meses), a mudança física dos artistas em 130 apresentações em 80 cidades diferentes no Brasil e do mundo.

Ao todo, foram apenas quatro câmeras GoPro, duas no modelo “silver” e as outras duas no modelo “black”, com mais qualidade. A captação de áudio foi realizada em dois shows ao vivo. O projeto foi idealizado por Bruno Giorgi, co-produtor do show e do disco Chão, e a edição ficou a cargo de Flora Pimentel. As câmeras foram instaladas acima de Bruno, JR Tostoi, ao lado de Lenine, nos técnicos de som e no peito dos roadies.

O SOM

Em 2012, Lenine reuniu sua equipe num galpão com a proposta de criar um show que proporcionasse ao público uma “experiência sensorial”. A ideia era adaptar o surround – tão bem empregado nos cinemas – para que as pessoas tivessem a sensação de que alguém estaria caminhando ao redor, ou que uma árvore enorme estava despencando, entre outras “sensações” do repertório de Chão.

Já era sabido, também, que JR Tostoi e Bruno Giorgi seriam os únicos músicos em cena com Lenine, se alternando em funções percussivas, harmônicas e melódicas, sampleando e remixando ao vivo os sons gravados na hora ou pré gravados nas MPCs. Na estrada, as variáveis começaram a mudar. “A cada dia o desafio era recriar o show” – conta o engenheiro de som Henrique Vilhena.

A complexa equação transformou Chão num verdadeiro laboratório. No início da turnê, alguns teatros foram preteridos, pelo receio de não haver o mesmo efeito e, também, pelo projeto ter sido considerado um tanto conceitual. Mas, com o domínio da técnica e a resposta do público, o espetáculo passou a ser apresentado até mesmo em espaços abertos. No Rock in Rio, foi considerado “a porção de verdadeira ousadia” do palco Sunset.

O conjunto de vídeos mostra um pouco da mágica desse espetáculo e explica por que Lenine considerou Chão o seu disco “mais rock’n roll”.

Curiosidades

• Chão tinha samplers (sons prés gravados) gravados nas MPCs, nos laptops usados com protools e live. A diferença entre eles é que os samplers das MPC’s e do Live eram tocados pelos músicos durante a apresentação;

• Em alguns outros momentos os samplers eram gravados na hora do show usando um pedal de guitarra o DL4. A voz e o violão do Lenine foram usados desta forma;

• O andar na brita, a chaleira, a serra eléctrica, as cigarras, os subgraves fortes, o metrônomo, os backing vocals do Lenine e o passarinho são exemplos de samplers usados no Protools;

• As MPC’s tinham sons percussivos e melódicos, os berimbaus, as frases “isso é só o começo”, alguns acordes de piano e percussões graves com melodias também. As MPCs eram tocadas no momento do show com samplers de pequena duração;

• O Live tinha a máquina de lavar, o passarinho que teve seu canto sampleado e transformado em várias notas, os backing vocals do Lenine, com samplers que formavam loops ou eram tocados. Bruno tocava o live e ia alternando os momentos de entrada de cada som. Em “Isso é só o começo” os sons eram somados, e iam se sobrepondo durante a música;

• O desafio de fazer surround em vários lugares diferentes era achar a melhor posição das caixas. A equipe procurava sempre usar um número grande de caixas para distribuir bem o som e não comprometer a audição de alguma parte da platéia. Tecnicamente, o número de caixas permite que elas estejam em um volume reduzido, fazendo apenas a cobertura sonora do espaço próximo a elas, desta forma os espectadores podem entender cada efeito e captar a idéia artística do show sem que seja necessário um volume alto para tal. Ou seja: o número de caixas está diretamente relacionado a uma redução do volume e não a um aumento dele;

• De 130 apresentações de Chão, em apenas duas não foi possível ter o efeito surround.

Chão ao vivo
Gravado durante a turnê “Chão”, entre 2011 e 2014

Realização
Casa 9 | Mameluco Produções

Vídeo
Direção – Flora Pimentel | Bruno Giorgi
Edição – Flora Pimentel
Captação de Vídeo – Bruno Giorgi
Captação de Áudio – Bruno Giorgi | Henrique Vilhena
Mixagem – Bruno Giorgi | Henrique Vilhena
Masterização – Bruno Giorgi
Coordenação de Mídias – Paula Santos
Direção Executiva – Carlos “KK” Mamoni Júnior

Turnê
Direção – Lenine | Carlos “KK” Mamoni Júnior
Direção Executiva – Geisa Behnen
Direção Musical – Lenine | Bruno Giorgi | JR Tostoi
Direção de Arte – Paulo Pederneiras
Músicos – Lenine | JR Tostoi | Bruno Giorgi e Gabriel Ventura
Engenheiro de Som (FOH) – Henrique Vilhena| Dominique Chaloub | Denilson Campos | Leo Mercuri
Engenheiro de Som (Monitor) – Juarez “Biggu” Barbosa
Concepção de Cenário – Paulo Pederneiras | Fernando Maculan
Produção de Arte e Cenografia – Patricia Galvão
Concepção de Iluminação – Paulo Pederneiras | Gabriel Pederneiras
Light Designer – Robson de Cassia
Produção – Maurício von Helde | Ivy Morais | Kika Dartora | Martha Gonçalves | Thays Almeida
Direção de Palco – Eysemberg “Berg” Silva | Bruno Giorgi
Roadie e Cenotécnico – Eysemberg “Berg” Silva | Gabriel Ventura | Uyatan “Tan” Menezes | Rafael Pacheco | Leonardo Rezende
Técnico de Guitarra – Gabriel Ventura
Transporte – Zé Carlos Chaves| Vivian Chaves| Everaldo de Souza | Damião de Souza | José Florêncio da Silva “Zé da Kombi” | Cléber Silva de Oliveira
Coordenação de Comunicação e Marketing – Paula Santos | Adriana Rielo
Assessoria de Imprensa – Sol Maior Comunicação
Coordenação Financeira – Gisele Behnen
Assistente Financeira – Maryá Lygia de Carvalho | Fernanda Rondon
Management – Carlos “KK” Mamoni Júnior

Mais informações sobre Lenine:
http://www.lenine.com.br/bio/

DEIXE SEU COMENTÁRIO
Comentário

0 COMENTÁRIO(S)